“Quais são os requisitos? Amor à humanidade, sinceridade para com todos, refletir a unicidade do mundo humano, filantropia, inflamar-se com o fogo do amor de Deus, alcançar o conhecimento de Deus e aquilo que conduz ao bem-estar humano.”

— ‘Abdu’l-Bahá

Um conceito fundamental nos ensinamentos bahá’ís é que o refinamento do caráter interior da pessoa e o serviço à humanidade são facetas inseparáveis da vida. Shoghi Effendi, em uma carta escrita em seu nome, afirma:

Não podemos separar o coração humano do meio ambiente, dizendo que assim que um destes for reformado tudo será melhor. O homem é parte orgânica do mundo. A sua vida interior molda o meio ambiente e é também profundamente afetada por ele. Um atua sobre o outro e toda mudança permanente na vida dos homens é resultado destas reações mútuas.

À luz disso, os bahá’ís passam a valorizar a operação de um duplo propósito que é fundamental à sua vida: cuidar de seu próprio crescimento espiritual e intelectual e contribuir para a transformação da sociedade.

Esse duplo propósito ajuda a moldar os empreendimentos dos bahá’ís em todas as áreas. Assim, por exemplo, não se espera deles apenas orar e refletir diariamente em suas vidas privadas, mas também se esforçarem em infundir um espírito devocional naqueles que os cercam; são exortados não somente a aprofundar seu próprio conhecimento da Fé, mas também compartilhar com outros os ensinamentos de Bahá’u’lláh; não são somente admoestados a aprender a resistir aos ditames do ego em sua própria vida, mas também a se esforçarem, com coragem e humildade, a reverter as tendências de uma cultura que glorifica a autogratificação e corrói os alicerces da solidariedade.

Observação: