“Os frutos da árvore humana sempre foram, e sempre serão, os bons atos e o caráter louvável.” –Bahá’u’lláh

Uma seleção introdutória de passagens dos escritos bahá’ís sobre o abrangente tema da lei divina.

A causa suprema da criação do mundo e de tudo o que nele está, é para o homem conhecer a Deus. Neste Dia, quem quer que seja guiado pela fragrância das vestes de Sua misericórdia, de modo a ganhar acesso à Morada pristina — a qual é a estado em que reconhece a Fonte dos manda- mentos divinos e o Alvorecer de Sua Revelação — terá atingido eternamente a todo o bem. Havendo sido alcançado esse grau sublime, cabe a cada alma uma dupla obrigação. Uma é constância na Causa — uma constância tal que, fossem todos os povos do mundo tentar impedi-lo de se volver para a, Fonte da Revelação, seriam impotentes para isso fazer. A outra é a observância dos preceitos divinos que têm procedido do manancial de Sua Pena que pelo céu é divinamente impelida. Pois o conhecimento de Deus que o homem possui não pode desenvolver-se plena e adequadamente, salvo pela observância de qualquer coisa que por Ele tenha sido ordenada e exposta em Seu Livro celestial.

( Epístolas de Bahá’u’lláh, pp. 295-5 )

O objetivo da religião, assim como é revelado do céu da santa Vontade de Deus, é estabelecer unidade e concórdia entre os povos do mundo; não a façais a causa de dissensão e contendas. A religião de Deus e Sua lei divina são os mais poderosos instrumentos e os mais seguros de todos os meios para o alvorecer da luz da unidade entre os homens. O progresso do mundo, o desenvolvimento das nações, a tranquilidade dos povos, e a paz de todos os que habitam na terra, figuram entre os princípios e preceitos de Deus.

( Epístolas de Bahá’u’lláh, Ishráqát )

Ó vós, povos do mundo! Sabei com certeza que Meus mandamentos são as lâmpadas de Minha amorosa providência entre os Meus servos e as chaves de Minha clemência para as Minhas criaturas. Eis o que se fez descer do céu da Vontade de vosso Senhor, o Senhor da Revelação. Se algum homem saboreasse a doçura das palavras que os lábios do Todo-Misericordioso decidiram pronunciar, ele renunciaria aos tesouros da terra, mesmo que os possuísse todos, a fim de vindicar a verdade de ao menos um dos Seus mandamentos, os quais se irradiam da Aurora de Sua benevolência e de Seu generoso cuidado.

( Bahá’u’lláh, O Kitáb-i-Aqdas )

Dize: A verdadeira liberdade consiste na submissão do homem aos Meus mandamentos, conquanto não o percebais. Observassem os homens o que Nós lhes enviamos do Céu da Revelação, eles, com toda certeza, atingiriam a liberdade perfeita. Feliz quem apreende o Desígnio de Deus em tudo o que Ele revelou do Céu de Sua Vontade, a qual permeia todas as coisas criadas. Dize: A liberdade que vos é proveitosa só se encontra em completa servitude a Deus, a Verdade Eterna. Quem experimentar a sua doçura recusará trocá-la por todo o domínio da terra e do céu.

( Bahá’u’lláh, O Kitáb-i-Aqdas )

Certamente, para tudo há uma sabedoria toda-abrangente, especialmente para os grandes e importantes assuntos da vida. O supremo e o mais importante acontecimento no mundo humano é a vinda do Manifestante de Deus e a descida da lei de Deus.

( ‘Abdu’l-Bahá, A Promulgação da Paz Universal )

A Lei de Deus se divide em duas partes. Uma é a base fundamental que abrange todas as coisas espirituais: isto é, refere-se às virtudes espirituais e qualidades divinas, e é imutável, inalterável; é o Santo dos Santos, que é a essência da Lei de Adão, Noé, Abraão, Moisés, Cristo, Muhammad, do Báb e de Bahá'u'lláh, a qual dura sempre, sendo estabelecida em todos os ciclos proféticos. Jamais será ab-rogada, pois é verdade espiritual e não material; é fé, conhecimento, certeza, justiça, piedade, retidão, integridade, amor a Deus, paz interior, pureza, desprendimento, humildade, submissão, paciência e constância. Tem compaixão do pobre, defende o opresso, mostra generosidade ao indigente e levanta o caído.

Estas qualidades divinas, estes mandamentos eternos, jamais serão abolidos, mas, sim, durarão, estabelecendo-se firmemente para sempre. Estas virtudes da humanidade renovam-se em cada um dos vários ciclos, pois no fim de cada ciclo, a Lei espiritual de Deus — isto quer dizer, as virtudes humanas — desaparece, persistindo apenas a forma…A segunda parte da Religião de Deus, referente ao mundo material, a qual inclui jejum, formas de oração, casamento e divórcio, a abolição da escravidão, processos legais, transações, indenizações por assassínio, violência, roubo e ofensas — esta parte da Lei de Deus que trata das coisas materiais, é modificada em cada ciclo profético de acordo com as necessidades do tempo.

(‘Abdu’l-Bahá, Respostas a Algumas Perguntas, pp. 57-8)

O propósito primário, o objetivo fundamental de revelarem-se poderosas leis e estabelecerem-se grandes princípios e instituições que tratam de cada aspecto da civilização é a felicidade humana; e a felicidade humana consiste apenas em ser atraído para mais perto do Limiar de Deus, o Todo-Poderoso, e em assegurar a paz e o bem-estar de cada membro individual da raça humana, eminentes e humildes, igualmente; e os instrumentos supremos para a realização destes dois objetivos são as excelentes qualidades com as quais a humanidade tem sido dotada.

( ‘Abdu’l-Bahá, O Segredo da Civilização Divina )

Observação: