“Todos os homens foram criados a fim de levar avante uma civilização destinada a evoluir para sempre.” –Bahá’u’lláh

Uma seleção introdutória de passagens dos escritos bahá’ís sobre o tema do progresso espiritual e material da civilização.

Todos os homens foram criados a fim de levarem avante uma civilização destinada a evoluir para sempre. O Todo-Poderoso dá-Me testemunho: Agir como os animais do campo é indigno do homem. Aquelas virtudes que convêm à sua dignidade são a tolerância, a misericórdia, a compaixão e a benevolência para com todos os povos e raças da terra. Dize: Ó amigos! Bebei até vos saciardes desta corrente cristalina que flui através da graça celestial dAquele que é o Senhor dos Nomes. Que os outros participem de suas águas em Meu Nome, a fim de que os líderes dos homens em todas as terras possam reconhecer plenamente o objetivo para o qual foi revelado a Verdade Eterna e a razão pela qual eles próprios foram criados.

( Seleção dos Escritos de Bahá’u’lláh, CIX )

O bem-estar da humanidade, sua paz e segurança, são irrealizáveis, a não ser que, primeiro, se estabeleça firmemente sua unidade. E essa unidade jamais será atingida enquanto se deixar de atender aos conselhos que a Pena do Altíssimo revelou.

( Seleção dos Escritos de Bahá’u’lláh, CXXXI )

A religião de Deus e Sua lei divina são os mais poderosos instrumentos e os mais seguros de todos os meios para o alvorecer da luz da unidade entre os homens. O progresso do mundo, o desenvolvimento das nações, a tranquilidade dos povos, e a paz de todos os que habitam na terra, figuram entre os princípios e preceitos de Deus… Apelamos para as manifestações do poder de Deus — os soberanos e governantes na terra — para que se esforcem e tudo a seu alcance façam, a fim de que, porventura, possam banir deste mundo a dissensão e iluminá-lo com a luz da concórdia.

( Epístolas de Bahá’u’lláh, Ishráqát )

As longas eras da infância e puberdade, através das quais a raça humana teve de passar, ficaram no passado. A humanidade está atualmente experimentando as comoções invariavelmente associadas ao estágio mais turbulento de sua evolução, o estágio da adolescência, quando a impetuosidade da juventude e sua veemência atingem seu clímax, e deve gradualmente ser superada pela calma, pela sabedoria e pela maturidade que caracterizam o estágio adulto. Então a raça humana irá alcançar o grau de maturidade que lhe permitirá adquirir todos os poderes e capacidades dos quais, em última instância, depende seu desenvolvimento.

( Shoghi Effendi, A Ordem Mundial de Bahá’u’lláh )

A unificação da humanidade inteira é o distintivo da etapa da qual a sociedade humana atualmente se aproxima. A unidade de família, a de tribo, a de cidade-estado e a de nação, foram sucessivamente tentadas e completamente estabelecidas. A unidade do mundo é agora a meta à qual a humanidade, em sua aflição, dirige seus esforços. O processo de formar nações já chegou ao fim. A anarquia inerente à soberania estatal aproxima-se de um clímax. Um mundo marchando para a maturidade deve abandonar esse ídolo, reconhecer a unicidade e a integridade das relações humanas e estabelecer, de uma vez por todas, os instrumentos que melhor possam concretizar este princípio fundamental de sua vida.

( Shoghi Effendi, A Ordem Mundial de Bahá’u’lláh )

A Revelação de Bahá’u’lláh, cuja suprema missão outra não é senão a realização desta unidade orgânica e espiritual de todas as nações, deve ser considerada, se formos fiéis às suas implicações, como sinalizando, com seu advento, a idade de maturidade da inteira raça humana… A emergência de uma comunidade mundial, a consciência da cidadania mundial, a fundação de uma civilização e de uma cultura mundiais… deve... em virtude de sua natureza, ser considerada, no que concerne a esta vida planetária, como as fronteiras mais avançadas na organização da sociedade humana, embora o homem, como indivíduo, continue, e até mesmo como resultado desta consumação, indefinidamente a progredir e se desenvolver.

( Shoghi Effendi, A Ordem Mundial de Bahá’u’lláh )

O conhecimento é como asas para a vida do homem; é como uma escada pela qual ele possa ascender. Incumbe a cada um adquiri-lo. O conhecimento deve ser adquirido, porém, de tais ciências que possam prestar benefícios aos povos da terra, e não daquelas que por meras palavras começam e assim também terminam. Grande, verdadeiramente, é a prerrogativa dos cientistas e dos artífices entre os povos do mundo. Disso dá testemunho o Livro-Mater no dia de Sua volta. Feliz quem possui um ouvido atento. Na realidade, o conhecimento é um verdadeiro tesouro para o homem; é para ele uma fonte de glória, de graça, de júbilo e exaltação, de alegria e contentamento. Assim se expressou a Língua da Grandeza nesta, a Maior Prisão.

( Epístolas de Bahá’u’lláh, Tajallíyát )

O progresso do mundo da humanidade depende do conhecimento e seu declínio é devido à ignorância. Quando a raça humana adquire conhecimento, torna-se celestial, e, ao adquirir erudição, ela adota atributos nobres.

( Ábdu’l-Bahá é citado numa carta da Casa Universal de Justiça aos Bahá’ís no Berço da Fé, 17 de junho de 2011. )

A civilização material assemelha-se a uma lâmpada e a divina, à luz. Sem luz, a lâmpada permanece escura. A civilização material é como o corpo. Por infinitas que sejam sua formosura, graça e beleza, ele é morto. A civilização divina é como o espírito. É o espírito quem insufla vida no corpo; pois sem o espírito o corpo não passa de um cadáver. Consequentemente, está comprovado que o mundo humano necessita dos sopros do Espírito Santo. Sem espírito, o mundo humano carece de vida, e destituído dessa luz está em escuridão absoluta.

( Seleção dos Escritos de ‘Abdu’l-Bahá )

Deus nos deu olhos para podermos olhar o mundo ao nosso redor e nos segurarmos a tudo o que fará avançar a civilização e as artes. Ele nos deu ouvidos para podermos ouvir e aprender com a sabedoria dos eruditos e filósofos e nos levantarmos para promovê-la e praticá-la. Sentidos e faculdades nos foram concedidos para serem consagrados ao serviço do bem comum, para que nós, agraciados acima de todas as outras formas de vida pela perceptividade e razão, devamos labutar em todos os tempos e em toda a parte, seja grande ou pequena, comum ou extraordinária a ocasião, até que toda a humanidade esteja seguramente reunida na inexpugnável fortaleza do conhecimento.

( ‘Abdu’l-Bahá, O Segredo da Civilização Divina )

Fazei todo esforço para adquirir conhecimento mais avançado da época, e concentrai todo vigor para levar avante a civilização divina.

(‘Abdu’l-Bahá, de uma Epístola traduzida do persa)

Peço aos amigos, com a máxima urgência, para fazerem todo esforço, tanto quanto esteja dentro de sua capacidade, ao longo dessas linhas. Quanto maior seu empenho em ampliar os limites de seu conhecimento, melhor e mais gratificante será o resultado. Que os amados de Deus, sejam jovens ou velhos, homens ou mulheres, cada um de acordo com suas habilidades, apressem-se e não poupem esforços em adquirir os vários ramos de conhecimento atual, tanto espiritual como secular, e das artes.

(‘Abdu’l-Bahá, de uma Epístola traduzida do árabe.)

Os que trilham o caminho da fé, os que têm sede do vinho da certeza, devem purificar-se de tudo o que é terreno — os ouvidos devem eles purificar de palavras fúteis, as mentes de vãs fantasias, os corações do apego às coisas do mundo, os olhos daquilo que perece. Em Deus devem pôr a confiança e, n´Ele se apoiando, prosseguir em Seu caminho. Então se tornarão dignos das refulgentes glórias do sol da compreensão e sabedoria divinas e receberão uma graça que é infinita e invisível, desde que o homem não pode esperar jamais atingir o conhecimento do Todo-Glorioso, jamais sorver da corrente da sabedoria divina, jamais entrar na morada eterna, nem participar do cálice da presença e favores divinos, sem que ele antes deixe de considerar as palavras e os atos dos homens mortais como padrões para o reconhecimento e a verdadeira compreensão de Deus e Seus Profetas.

( Bahá’u’lláh, O Kitáb-i-Íqan )

Não penses ser uma vã fantasia o poder todo-suficiente de Deus. É essa fé genuína que tu nutres pelo Manifestante de Deus em cada Era. É tal fé que basta, acima de todas as coisas que existem na terra, enquanto que nenhuma coisa criada na terra, a não ser a fé, te seria suficiente. Se não és crente, a Árvore da Verdade divina te condenará à extinção. Se és crente, tua fé te será suficiente, acima de todas as coisas que na terra existem, ainda que tu nada possuas.

( Seleção dos Escritos do Báb )

Sinceridade é a pedra fundamental da fé. Isto é, um indivíduo religioso deve desconsiderar seus desejos pessoais e procurar sinceramente servir o interesse público de qualquer forma que ele possa; e é impossível a um ser humano afastar-se de suas próprias vantagens egoístas e sacrificar seu próprio bem pelo bem da comunidade, a não ser através da verdadeira fé religiosa. Pois o amor próprio é misturado ao próprio barro do homem e não é possível que, sem qualquer esperança de uma recompensa substancial, ele negligencie seus próprios bens materiais atuais. Aquele indivíduo, entretanto, que coloca sua fé em Deus e crê nas palavras de Deus – porque lhe é prometida uma copiosa recompensa na próxima vida e porque os benefícios mundanos, quando comparados à alegria e à glória permanentes dos futuros planos de existência, não são nada para ele – abandonará por amor a Deus sua própria paz e benefício, e consagrará livremente seu coração e alma ao bem comum. “Entre os homens há, também aquele que se sacrifica para obter o beneplácito de Deus.”

( ‘Abdu’l-Bahá, O Segredo da Civilização Divina )

Uma investigação minuciosa revelará que a causa principal de opressão e injustiça, de iniquidade, irregularidade e desordem, é a falta de fé religiosa no povo e o fato de eles não serem educados. Quando, por exemplo, as pessoas são genuinamente religiosas e são letradas e bem instruídas, e apresenta-se uma dificuldade, elas podem recorrer às autoridades locais; caso elas não obtenham justiça e assegurem seus direitos, e caso elas vejam que a conduta do governo local é incompatível ao beneplácito Divino e à justiça real, elas podem então levar seu caso a cortes superiores e descrever o desvio da administração local em relação à lei espiritual. Essas cortes podem então solicitar os registros locais do caso e, neste caminho, a justiça será feita. Atualmente, porém, devido à sua educação inadequada, a maior parte da população não dispõe nem mesmo do vocabulário para explicar o que ela quer.

( ‘Abdu’l-Bahá, O Segredo da Civilização Divina )

Como pode o homem acreditar em algo que a ciência provou ser impossível? Acreditar, a despeito da razão, é antes superstição ignorante, do que fé.

( ‘Abdu’l-Bahá, Palestras em Paris )

Considerai o que distingue o homem entre as criaturas e faz dele um ser à parte. Não é o poder do raciocínio, sua inteligência?

( ‘Abdu’l-Bahá, Palestras em Paris )

Quantas as crianças que, apesar de jovens, possuem no entanto juízo maduro e correto! Quantas as pessoas idosas que são ignorantes e confusas! Pois o crescimento e o desenvolvimento dependem dos poderes de intelecto e raciocínio que a pessoa possui, e não da idade ou do número de dias que conta.

( Seleção dos Escritos de ‘Abdu’l-Bahá )

Assim, o homem não pode compreender a Essência da Divindade mas, através de sua faculdade de raciocínio e observação, suas faculdades intuitivas e o poder revelador de sua fé, pode crer em Deus e descobrir a abundância de Sua Graça. Embora seja invisível a Essência Divina, e intangível a existência da Deidade, provas concludentes afirmam a existência daquela Realidade invisível. A Essência Divina como ela é em si mesma, entretanto, ultrapassa toda descrição. Desconhece-se, por exemplo, a natureza do éter, mas o fato de que existe, é provado pelos seus efeitos, sendo o calor, a luz e a eletricidade suas ondas. Através dessas ondas, a existência de éter é, portanto provada. E quando consideramos a emanação da Graça Divina, certificamo-nos da existência de Deus.

( ‘Abdu’l-Bahá, Epístola ao Dr. Auguste Forel )

A religião é a luz do mundo, e o progresso, realização e felicidade do homem resultam da obediência às leis registradas nos Livros Sagrados. Em resumo, é demonstrável que, nesta vida, a mais poderosa das estruturas, quer externa ou internamente, a mais solidamente estabelecida, a mais duradoura, que mantém a guarda sobre o mundo, que assegura tanto as perfeições espirituais como as materiais da humanidade, e que protege a felicidade e a civilização da sociedade – é a religião.

( ‘Abdu’l-Bahá, O Segredo da Civilização Divina )

A ciência é a primeira emanação de Deus ao homem. Todas as coisas criadas incorporam a potencialidade da perfeição material, mas o poder da investigação intelectual e conquista científica é a maior virtude especificamente do homem apenas. Outros seres e organismos são privados dessa potencialidade e realização. Deus criou ou depositou no homem este amor à realidade.

( ‘Abdu’l-Bahá, A Promulgação da Paz Universal )

Religião e ciência são duas asas sobre as quais a inteligência do homem pode pairar nas alturas, com as quais a alma humana pode progredir.

( ‘Abdu’l-Bahá, Palestras em Paris )

As virtudes da humanidade são muitas, mas a ciência é a mais nobre de todas. A distinção da qual o homem desfruta acima e além do estado do animal é devida a esta virtude suprema. É uma dádiva de Deus; não é material, é divina. A ciência é o esplendor do Sol da Realidade, o poder de investigar e descobrir as verdades do universo, um meio pelo qual o homem encontra caminho em direção a Deus. Todos os poderes e atributos do homem são humanos e de origem hereditária – produzidos pelo processo da natureza – exceto o intelecto, que é supranatural. Por intermédio de pesquisa intelectual e inteligente, a ciência descobre todas as coisas. Ela une o presente e o passado, revela a história de nações e eventos passados, e confere ao homem atual a essência de todo o conhecimento e realizações humanas através das eras. Por processos intelectuais e dedução lógica da razão, este grande poder existente no homem pode penetrar os mistérios do futuro e antecipar seus eventos.

( ‘Abdu’l-Bahá, A Promulgação da Paz Universal )

A Religião de Deus, entretanto, promove a verdade, fornece alicerces à ciência, aos conhecimentos, dá pleno apoio aos homens de erudição, civiliza a humanidade, descobre os segredos da natureza, ilumina os horizontes do mundo. Em consequência, como podemos dizer que ela se oponha ao conhecimento? Deus nos defenda! Não, aos olhos de Deus o conhecimento é a mais gloriosa dádiva do homem, a mais nobre das perfeições humanas. Opor-se ao conhecimento é mostrar ignorância; e quem detesta a ciência, o conhecimento, não é o homem, mas apenas animal sem inteligência. Pois o conhecimento é luz, é vida, é felicidade, é perfeição e beleza, e é o meio de se aproximar do Limiar da Unidade. É a honra, a glória do mundo humano, e a maior dádiva de Deus. Possuir conhecimento é ser guiado; permanecer na ignorância é verdadeiro erro.

(‘Abdu’l-Bahá, Respostas a Algumas Perguntas)

Nenhuma contradição há entre verdadeira religião e ciência. Quando uma religião se opõe à ciência, torna-se mera superstição: o que é contrário ao conhecimento é ignorância.

( ‘Abdu’l-Bahá, Palestras em Paris )

Quanto maiores as vossas realizações, mais elevado o vosso nível no propósito divino. O homem de ciências é perceptivo e dotado de visão, enquanto aquele que é ignorante e alheio a esse desenvolvimento, é cego. A mente investigativa é atenta e viva; a mente insensível e indiferente é surda e morta. Um homem de ciência é um verdadeiro indicador e representante da humanidade, pois através do processo de raciocínio indutivo e pesquisa ele se informa de tudo o que se refere à humanidade, seu estado, suas condições e acontecimentos. Ele estuda a sociedade humana, entende os problemas sociais e tece a trama e a constituição da civilização. Na verdade, a ciência pode ser comparada a um espelho no qual se revelam e se refletem as infinitas formas e imagens das coisas existentes. É o próprio fundamento de todo desenvolvimento individual e nacional. Sem esta base de investigação, o desenvolvimento é impossível.

( ‘Abdu’l-Bahá, A Promulgação da Paz Universal )

Observação: